Tag: graduacao

Destinado para formação do engenheiro civil, o curso de engenharia civil tem o objetivo de formar o aluno para acompanhar todas as etapas de uma reforma ou construção. Desde a análise de solo até aos acabamentos.

Perfil do engenheiro civil

Para quem pretende cursar a faculdade de engenharia civil precisa ficar atento a algumas aptidões necessárias para ter êxito nesse propósito. Espera-se de um engenheiro civil facilidade e interesse por cálculos e física, você estudará muito esses dois assuntos.

Além, para cursar engenharia civil é esperável que a pessoa tenha capacidade apurada de raciocínio lógico, saiba trabalhar em equipe, tenha uma boa noção de visão espacial e seja organizada e concentrada.

Áreas de atuação

O curso de engenharia civil irá habilitar o profissional a gerenciar todas as etapas de uma construção, ele será responsável por gerenciar equipes de trabalho, monitorando prazos, custos, padrões de segurança e qualidade.

Além, o curso de engenharia civil irá possibilitar ao profissional formado trabalhar em diversas áreas dentro da construção civil como;

Construir e fazer obras de saneamento básico, como redes de tratamento e captação de esgotos por exemplo.

Trabalhar com infraestrutura de transporte, executando obras de construção de rodovias, portos, viadutos, estradas dentre outros.

Executar obras hidráulicas e de recursos hídricos como reservatórios, canais e barragens.

Gerenciamento predial, gerindo a organização no uso da infraestrutura de prédios e mantendo o padrão de qualidade.

Trabalhar na construção urbana construindo prédios, shoppings e estruturas de grande porte.

Curso de engenharia civil

Grade da engenharia civil

Para os alunos que pretendem entrar em uma faculdade de engenharia civil a grade curricular se assemelha na maioria das instituições privadas e federais, a não ser que o curso seja com ênfase em alguma área especifica.

Dividida em 10 semestres, a grade curricular do curso de engenharia civil costuma ser;

Introdução a programação, engenharia ambiental, álgebra linear e economia, química geral, analítica aplicada, bioquímica e química orgânica, cálculos I II e III, cálculo numérico e estatística I, física I II e III, desenho técnico, ecologia ambiental, biologia celular, sociologia, ecotoxicologia, hidráulica, climatologia, qualidade da água, tratamento de resíduos sólidos, manejo de bacias hidrográficas, recuperação de áreas degradadas, gestão ambiental, energias alternativas e epidemiologia aplicada.

Essas matérias são iguais para todos nos três primeiros anos de curso, porém após esse período o aluno irá focar em matérias especificas a área de especialização escolhida que são;

Estruturas, construção civil, hidráulica e saneamento, transportes ou geotecnia.

Para concluir o curso, o aluno de engenharia civil deve ser aprovado no trabalho de conclusão de curso e ter cumprido com as horas obrigatórias de estágio.

Lembres se, pode haver alterações da grade curricular dependendo da faculdade escolhida.

Melhores faculdades

O curso de engenharia civil é bastante difundido no território nacional e atualmente possui mais de 900 cursos divididos por todos os estados brasileiros.

Porém nem todos os cursos possuem uma boa avaliação quanto a sua qualidade, por isso você deve ficar atento na hora de escolher o seu. Abaixo você confere as melhores faculdades de engenharia civil do país.

Segundo pesquisas realizadas pelo Guia do Estudante, as 11 melhores faculdade de engenharia são;

  • Universidade de Brasília – UNB
  • Universidade Federal do Pará – UFPA
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
  • Universidade Federal do Paraná – UFPR
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS
  • Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
  • Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
  • Universidade estadual de campinas – Unicamp
  • Universidade de São Paulo – Campus São Carlos – USP
  • Instituto de tecnologia aeronáutica – ITA
  • Universidade de São Paulo – USP

Todas receberam nota máxima (cinco) no IGC (índice geral de cursos), fornecido pelo MEC.

Mercado de trabalho para engenharia civil

Altamente vinculado a situação econômica do país, o mercado de trabalho para o engenheiro civil vai depender muito se o ramo da construção civil está aquecido. Quando há estimulo governamental para a construção civil, o profissional de engenharia não fica desempregado.

Atualmente as especializações ligadas à qualidade, segurança e proteção estão em amplo crescimento, já havendo cursos com ênfase a essas áreas. Além, através de incentivos governamentais para compra de um imóvel novo, o numero de vagas de trabalho tende a crescer.

Espera-se que para os próximos anos o mercado de trabalho para o engenheiro civil melhore substancialmente quando comparado ao período de crise que estamos enfrentando.

Read Full Article

Para quem sonha em ingressar em uma faculdade, porém não possui dinheiro para realizar o seu sonho, o FIES (Fundo de Financiamento estudantil),  pode ser sua grande oportunidade. Após a realização das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), os vestibulandos podem concorrer a vagas para ingressar em faculdades Federais ou estaduais através do SISU, ou em faculdades privadas com bolsas parciais ou integrais através do ProUni. Porém se o estudando não conseguir uma nota suficiente para garantir a sua vaga, ele ainda tem outra chance, com o FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior). Porém uma grande dúvida é sobre como conseguir Fies, algo que vamos esclarecer nesse artigo.

Para quem ainda não conhece, o FIES é um programa do governo, criado em 1999, a fim de atender ao público que não possui condições financeiras para cursar uma faculdade, e com isso, a cada dia aumenta a procura dos estudantes pelo financiamento realizado através do FIES. Se você quer saber como se inscrever no FIES e conseguir financiar o seu curso de graduação para pagá-lo só depois de formado, continue lendo esse artigo que nós explicaremos tudo o que você precisa saber.

Como conseguir Fies?

Se você deseja saber como conseguir FIES, é necessário ter realizado a prova do Enem, no ano anterior ao ano de inscrição do FIES. Depois deverá esperar pelas datas de abertura para inscrição no programa. Fazer a inscrição e concorrer uma das centenas de vagas disponíveis. A inscrição para o FIES é rápida e prática, você só precisa seguir alguns requisitos básicos para conseguir concorrer. Na época das inscrições você deve acessar ao site oficial do programa, preencher seus dados, e buscar pelo curso que você deseja para concorrer a vaga.

Quais os requisitos para conseguir esse financiamento?

Para conseguir o FIES, é necessário que o aluno atenda aos requisitos básicos exigidos, caso ele não atenda a um desses critérios ele será eliminado e não poderá concorrer a vaga. Os critérios são:

  • Ter renda máxima de até  3 (três) salários mínimos por pessoa do seu grupo familiar;
  • Ter feito o Enem no ano anterior, e ter obtido nota acima de 450 pontos, sendo que o estudante não pode ter obtido 0 (zero) na redação do Enem;
  • Não ter concluído nenhum curso superior;
  • Possuir um fiador.

Obs.: O Fiador não é exigido para os alunos que possuem bolsa parcial no ProUni, alunos que tem renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo, e também os que estão matriculados em cursos de licenciatura.

Todos podem participar do FIES?

A fim de selecionar os candidatos melhor, existem algumas regras que precisam ser cumpridas para que o candidato possa concorrer a uma das vagas, quem não estiver dentro dessas regras até poderá efetuar sua inscrição, mas será eliminado. Veja a seguir quem não poderá conseguir um financiamento pelo FIES

  • Alunos que possuam algum tipo de restrição em seu nome (o famoso “nome sujo”);
  • Alunos que estejam com a matrícula trancada no período da inscrição;
  • Alunos que foram beneficiados com bolsa integral no ProUni;
  • Estudantes que estão matriculados em cursos que não possuem o programa de financiamento FIES;
  • Pessoas que já tiveram sido beneficiados com o financiamento pelo FIES;
  • Estudantes com renda per capita familiar superior a 3 (três) salários mínimos.
  • Alunos que obtiveram nota 0 (zero) na redação.

Quais os cursos mais procurados?

Os 5 (Cinco) cursos mais procurados pelos alunos que desejam conseguir o financiamento estudantil do governo federal, o FIES, são:

  • 1° Medicina;
  • 2° Direito;
  • 3° Enfermagem;
  • 4° Administração;
  • 5° Engenharia.

Por isso, se você deseja obter o financiamento para algum desses cursos, é melhor estudar bastante para sair bem na prova do Enem e conseguir ser um dos selecionados para uma vaga em uma faculdade privada com esse financiamento, pois o critério de avaliação dos candidatos que desejam uma vaga é o mesmo dos outros programas do governo, como SISU e ProUni, ou seja, dá prioridade aos alunos que obtiveram maior desempenho nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM.

Você já fez algum curso de graduação utilizando o financiamento do FIES? Valeu a pena? Os juros são realmente mais baixos do que os cobrados em outros financiamentos? Você recomendaria aos outros alunos que façam parte desse programa? Deixe nos comentários a sua opinião obre o FIES.

 

Read Full Article

Quem está empregado precisa fazer de tudo para se manter no emprego, e quem está desempregado, precisa buscar se qualificar ou se especializar para oferecer algum diferencial às empresas, já que em época de crise a concorrência está cada vez maior.

O problema é que quem está trabalhando não tem tempo para estudar, principalmente porque fica muito tempo no trânsito, principalmente se não mora perto dos grandes centros. Para quem está desempregado o problema é outro: Tem tempo, mas não tem dinheiro para investir em qualificação profissional.

A solução para ambos é fazer um curso à distância, que ajuda na qualificação para o mercado de trabalho aí, no conforto da sua casa, com praticidade e flexibilidade de horário, e por um preço muito menor – e muitas vezes até de forma gratuita!

As vantagens de fazer um curso à distância não param por aí, Veja nesse artigo tudo que você precisa saber para atualizar o seu currículo agora.

Tipos de curso a distância

Hoje em dia você consegue fazer todos os tipos de curso à distância, desde um curso livre que te dê apenas noções básicas de um assunto mais simples, quanto um curso de nível superior, passando por cursos de idiomas, preparatórios para concurso público e para o ENEM, cursos profissionalizantes e técnicos.

Esses cursos podem ser oferecidos por instituições renomadas e reconhecidas por órgãos como o MEC ou por cursos menores, no Brasil ou no exterior, e ajudam a profissionalizar, capacitar ou especializar, além de aumentar a empregabilidade e a autoestima de milhares de pessoas de todas as idades.

A carga horária também pode variar de acordo com o objetivo do curso. Os cursos livres são mais rápidos e bem específicos, como os cursos de idiomas, de informática, fotografia, jardinagem, de corte e costura, de cabeleireiro ou de artesanato, por exemplo. Também costumam ser bem baratos e não precisam de autorização do MEC ou de secretarias de educação para funcionarem.

Os cursos livres também podem ser chamados de profissionalizante, porque têm o objetivo de formar profissionais para o mercado de trabalho. Geralmente são considerados cursos introdutórios ou básicos e algumas instituições cobram apenas uma taxa para a impressão ou envio do certificado de conclusão do curso.

Os cursos de capacitação profissional servem para as pessoas que já têm uma formação ou uma profissão e precisam se atualizar em algum assunto específico ou melhorar o seu currículo. São cursos que costumam ter a carga horária baixa e é possível encontrar várias opções baratas e gratuitas.

Os cursos técnicos podem ser feitos tanto por alunos do ensino médio quanto por pessoas que já terminaram o ensino médio e querem se profissionalizar. São cursos regulamentados pelo MEC e têm carga horária que pode chegar a 2 anos, de acordo com o conteúdo. Caso seja a sua opção, verifique se a instituição está cadastrada e o seu curso autorizado no site do MEC.

Os cursos de graduação à distância são oferecidos por instituições de ensino superior e precisam de autorização do MEC para oferecerem o curso à distância. Esses cursos são para as pessoas que terminaram o ensino médio e querem um diploma de ensino superior.

Existem também opções de cursos de pós-graduação à distância, que alunos formados em cursos politécnico ou de graduação tradicional podem fazer.

Quando vale a pena fazer um curso à distância?

A educação à distância (EAD) é uma opção criada para levar os cursos a lugares mais distantes, e para possibilitar que alguém que não more perto do mar possa fazer um curso de petróleo e gás, por exemplo, que geralmente é oferecido em cidades onde as empresas estão localizadas.

Vale a pena fazer um curso à distância se você mora longe de uma instituição que tenha o curso que você quer fazer, ou se o trajeto entre a sua casa ou trabalho e o curso é muito longo ou cansativo.

Também vale a pena fazer um curso à distância se você precisa de horários flexíveis, se tem filhos pequenos e não tem com quem deixar eles enquanto estuda, se tem dificuldade de locomoção ou não pode arcar com os custos de transporte e pra quem quer economizar, já que grande parte dos cursos à distância são mais baratos que os presenciais, mesmo não sendo uma regra geral.

Veja também um vídeo sobre o assunto:

Read Full Article